Banco do Nordeste apresenta Programa de Desenvolvimento Territorial em Bom Jardim

No dia 11/07/2019, foi apresentado, na sede da Associação Agricultores e Agricultoras Familiares e Bom Jardim, o Programa de Desenvolvimento Territorial (Podeter). Houve a participação de agentes econômicos (produtores agroecológicos) e de representantes do Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA), do Sindicato de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais (STR), da Diretoria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente de Bom Jardim, do Conselho de Desenvolvimento Rural de Bom Jardim, do Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA), da própria Agroflor e de outras associações e entidades rurais atuantes neste município.

O Prodeter é uma estratégia do Banco do Nordeste para contribuir com o desenvolvimento territorial e local por meio da organização, fortalecimento e elevação da competitividade das atividades econômicas da Região. No Agreste Setentrional de Pernambuco a atividade a ser estruturada é a Agroecologia.

Na oportunidade, o coordenador geral da Agroflor, Adeildo Barbosa da Silva, ressaltou a importância de ter o Banco do Nordeste como parceiro. Em sua fala, também celebrou a escolha da Agrocologia como atividade a ser fomentada pelo Programa de Desenvolvimento Territorial.

Na mesma toada, Tone Cristiano Feliciano da Silva, coordenação de planejamento da produção e acesso a mercado, vislumbra no Prodeter a possibilidade de reconhecer o Agreste Setentrional como um território agroecológico. Ou seja, verificar que seu potencial econômico está na biodiversidade, pois não se trata de uma mera área de monocultura.

Durante este momento, foi constituído o Comitê Gestor Municipal (CGM), bem com foram indicados quem de seus membros participará do Comitê Gestor Territorial (CGT). O CGM de Bom Jardim será coordenado por João Ribeiro da Silva Filho, cuja função na Agroflor é coordenar o setor administrativo/financeiro. O CGT terá em sua composição representantes, de Bom Jardim, João Alfredo, Orobó e Feira Nova.

Ao término da reunião, os presentes estavam animados com a perspectiva colaboração de tantos atores objetivando fortalecer a Agroecologia (em nível local e territorial). Isto, porque esta atividade é economicamente viável, socialmente justa e ambientalmente correta. Contribuindo, então, na melhoria da qualidade de vida dos produtores agroecológicos envolvidos, com a geração de emprego e renda.

Para mais informações sobre o Prodeter, basta acessar:

https://www.bnb.gov.br/programa-de-desenvolvimento-territorial