Convocação para Seminário Caminhos e Obstáculos da Certificação de Produtos Orgânicos

A AGROFLOR convida todos os agentes econômicos participantes do projeto “CULTIVANDO AGROECOLOGIA e COLHENDO SUSTENTABILIDADE NO SEMIÁRIDO ” e demais, para participar do Seminário que tem como tema: Caminhos e obstáculos da certificação de produtos orgânicos.

Projeto Cultivando Agroecologia Colhendo Sustentabilidade no Semiárido

Esse projeto visa promover alternativas sustentáveis para produção agrícola no Território do Agreste Setentrional de
Pernambuco. Para tanto, iremos capacitar pelo menos 100 agentes econômicos, integrantes do Programa de Ação Territorial
(PAT) do Programa de Desenvolvimento Territorial (PRODETER) no Território do Agreste Setentrional de Pernambuco, que
compreende os municípios de Bom Jardim, Orobó, João Alfredo e Feira Nova, para que produzam de forma agroecológica,
prepararem insumos agroecológicos, beneficiem e comercializem a produção orgânica. Além disso, realizaremos a compra e
doação simultânea de sementes crioulas e mudas (florestais e frutíferas), visando qualificar os agricultores, fortalecendo sua
produção e os bancos de sementes locais. O projeto pretende gerar impacto social e econômico positivo no dia-dia dos
agentes econômicos beneficiados, bem como se estender pela comunidade local, por meio da difusão de conhecimentos e de
tecnologias na área agroecológica, na regularização da produção orgânica dos envolvidos e, além disso, promover de forma
direta e indireta à preservação e conservação do meio ambiente.

Prodeter: estreitando relações

De 2018 para cá, é visível o fortalecimento de nossa parceria com o Banco do Nordeste. Neste ano, a equipe da agência Surubim nos contatou no intuito de estabelecermos uma estratégia para aproveitarmos as disposições da Lei 13.340/2016 para diminuirmos a elevada inadimplência em financiamentos do Pronaf no município de Bom Jardim.

Já no início de 2019, passamos a ser correntistas do BNB em virtude de nosso contrato com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) para recebermos os créditos referentes ao Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). Mas esta relação ficou mais estreita com a implantação do Programa de Desenvolvimento Territorial (PRODETER) no Agreste Setentrional, no qual atuamos efetivamente nos comitês gestores municipal (CGM) e territorial (CGT) da Agroecologia.

Em meados 2020, o nosso projeto “Cultivando agroecologia, colhendo sustentabilidade no semiárido” sagrou-se como o quarto colocado geral e o primeiro no Estado de Pernambuco no Edital Fundeci 02/2019, o qual conduzido por este banco de desenvolvimento. No último dia 26/08/2020, recebemos a visita da gerente estadual de Desenvolvimento Territorial Joaísa Rodrigues Ferreira, acompanhada de Rosália Cavalcante (gerente geral da agência Surubim) e Gernardes Andrade (agente de desenvolvimento), objetivando conhecer de perto trabalhos realizados por nossa associação.

O Prodeter é uma estratégia do Banco do Nordeste para contribuir com o desenvolvimento territorial e local por meio da organização, fortalecimento e elevação da competitividade das atividades econômicas da região.

Cultivando agroecologia, colhendo sustentabilidade no semiárido.

   Agora a pouco (em 29/07/2020), o Banco do Nordeste divulgou o resultado final da etapa Seleção das Propostas do EDITAL FUNDECI 02/2019 – DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL – Difusão e Transferência de Tecnologia em Territórios Prioritários do Plano AGRONORDESTE do MAPA e do Programa de Desenvolvimento Territorial do Banco do Nordeste (PRODETER).

  O nosso projeto “Cultivando agroecologia, colhendo sustentabilidade no semiárido” sagrou-se como o quarto colocado geral e o primeiro no Estado de Pernambuco. Neste, objetivamos promover uma alternativa sustentável para produção agrícola no semiárido, através da capacitação de produtores agroecológicos, incentivo a regulamentação da comercialização, melhorar as condições de trabalho no campo e Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER) para os agentes econômicos. Como não poderia ser diferente,  estamos muito animados e  felizes com este feito!

Equipe da Coordenadoria da Associação dos Agricultores/as Agroecológicos de Bom Jardim (AGROFLOR).

   A nossa associação, a Agroflor, fundada em 1999, se organizou através de associados, os quais  acreditavam melhorar suas vidas a partir de uma nova orientação para suas práticas de produção: a agricultura agroflorestal com base na ciência da agroecologia. 

  O Prodeter é uma estratégia do Banco do Nordeste para contribuir com o desenvolvimento territorial e local por meio da organização, fortalecimento e elevação da competitividade das atividades econômicas da região.

Evento de lançamento Plano de Ação Territorial da Agroecologia é realizado em Bom Jardim-PE

Produtores agroecológicos e parceiros institucionais do Banco do Nordeste participaram do lançamento do Plano de Ação Territorial (PAT) da Agroecologia do Agreste Setentrional. O evento foi realizado no dia 25 de novembro no auditório do Centro Cultural e Educacional Professora Marineide Braz, no município pernambucano de Bom Jardim.


De acordo com o Plano Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica (PLANAPO), propõe-se “um novo paradigma para a agricultura, que promova a ampliação das condições de acesso a alimentos saudáveis, a partir de sistemas de produção agrícola ecologicamente equilibrados, e que contribua para o fortalecimento de bases estruturais socialmente justas e inclusivas para o campo” (BRASIL AGROECOLÓGICO: Plano Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica – PLANAPO 2016-2019, 2016, p.
9).

O PAT proposto tem por objetivo regularizar, no período de 3 (três) anos, a produção dos participantes do PAT, com a obtenção da regularização da produção junto ao MAPA. Isto, para mitigar, justamente, o problema do baixo índice de regularização da atividade, a qual afeta diretamente na comercialização.


Durante a programação houve a exibição de uma peça teatral intitulada “Sustentabilidade uma perspectiva para o futuro” encenadas por estudantes da EREM Justa Barbosa de Sales, do município de Vertente do Lério-PE. Em outro momento, Davi Fantuzzi, assessor de mercados do Sabiá – Centro de Desenvolvimento Agroecológico, faz uma palestra relacionando “Agroecologia e Desenvolvimento Territorial” trazendo questionamentos e provocações para os presentes.


Além dos agentes econômicos, estavam presentes representantes da Agroflor, do SERTA, do Sabiá, do STR de Orobó, da COMSEF, do IPA, do IBGE, da Superintendência Regional do Trabalho-PE, e de outras entidade da sociedade civil. A vice-prefeita de Bom Jardim, Sra. Ivonete Braz, e os secretários de agricultura de Orobó, Sebastião Barbosa, e de Feira Nova, Joel Pascoal, municípios partícipes desta ação (somados a João Alfredo), também prestigiaram o momento, e ressaltaram a importância desta cooperação impulsionada pelo Banco do Nordeste.


A gerente da agência Surubim, Rosália Cavalcante, participou do ato referendando a Superintendência Estadual de Pernambuco do Banco do Nordeste. Esta evidenciou a formatação do Prodeter na qual envolvem o Bando do Nordeste e vários parceiros, em afirmou que esta cooperação “é muito importante para os produtores agroecológicos.” Ainda ponderou sobre a excelente qualidade dos produtos obtidos de manejo sem a utilização de venenos (ou agrotóxicos).

Toda a equipe da Agroflor está mais animada e revigorada por conta toda esta mobilização proporcionada pelo Programa de Desenvolvimento Territorial (Prodeter), e, principalmente, pelo seu aniversário de 20 anos ocorrido no dia 31/10/2019. Todavia, as comemorações ocorreram durante o mês de novembro. A Agroflor se organizou através de associados, os quais acreditavam melhorar suas vidas a partir de uma nova orientação para suas práticas de produção: a agricultura agroflorestal com base na ciência da agroecologia.

Para o coordenador geral da Agroflor, Adeildo Barbosa da Silva, a expectativa é de que o Prodeter além de disseminar o manejo agroecológico, de garantir a soberania alimentar e de propiciar a regularização da atividade, também venha a “fortalecer a comercialização desses produtos para gerar renda para as famílias e levar um produto saudável a população da cidade”. Ou seja, propiciar qualidade de vida tanto para quem produz, quanto para quem consome.

A próxima atividade prevista para o Prodeter, neste território, será a identificação e caracterização dos agentes econômicos objeto participantes das ações integrantes do PAT.

Para mais informações sobre o Prodeter, basta acessar:

https://www.bnb.gov.br/programa-de-desenvolvimento-territorial

Entrega dos produtos do PAA na AGROFLOR

Todas as terças, desde o dia 23 de julho de 2019, estão sendo entregues em media de três à quatro toneladas de alimentos agroecológicos produzidos pelos agricultores da Agroflor. O recolhimento ocorre todas as segundas-feiras na sede da associação. São entregues produtos como banana, laranja, limão, couve, macaxeira, etc, que demonstram a diversidade, a qualidade do alimento que não tem aditivo químico e a disposição da comunidade que voluntariamente ajuda no descarregamento e carregamento dos produtos agroecológicos.

O Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), criado pelo art. 19 da Lei nº 10.696, de 02 de julho de 2003, possui duas finalidades básicas: promover o acesso à alimentação e incentivar a agricultura familiar. Alem de gerar renda e autonomia ás famílias produtoras, também incentiva e proporciona o consumo de alimentos saudáveis produzidos de forma sustentável.

A produção é transportada para central de recolhimento no Banco de Alimentos do Sesc (Serviço Social do Comércio) em Recife, unidade parceira responsável pela distribuição dos alimentos. O Banco de Alimentos é um programa da Mesa Brasil Sesc – Rede Nacional de Solidariedade e Cidadania de responsabilidade social que atua para diminuir o abismo da desigualdade social no país, destinando os produtos fornecidos para inúmeras instituições assistenciais, entre creches, abrigos, escolas e hospitais.

O programa se estenderá até o primeiro semestre do ano 2020, estimulando, como anteriormente sitado, a agricultura de base familiar, gerando renda e autonomia, acesso a alimentação saudável e, sobretudo, promovendo a agroecologia como um modelo produtivo viável em termos econômicos e de qualidade aos agricultores e consumidores. A agroecologia é a principal bandeira da AGROFLOR, que acredita numa agricultura sustentável, que respeite o meio ambiente e as pessoas envolvidas no processo, a produção diversificada e o acesso popular aos alimentos saudáveis.

Viva a AGRICULTURA FAMILIAR e a AGROECOLOGIA !!